segunda-feira, 24 de março de 2014

LG G Flex chega ao Brasil por R$ 2,7 mil

A LG tem uma coletiva de imprensa marcada para amanhã, para anunciar o segundo smartphone curvo do mundo, o G Flex - que veio pouco tempo depois do Galaxy Round, da Samsung. Mesmo com o lançamento para imprensa marcado para o dia 25, a empresa sul-coreana resolveu liberar a venda do gadget em seus canais oficiais de varejo, por uma bagatela salgada de R$ 2,7 mil.


LG G Flex
O G Flex segue o padrão de topo de linha da empresa, com grandes semelhanças quando olhamos para o LG G2. Por dentro, o smartphone curvo traz um processador Snapdragon 800, rodando quatro núcleos a 2.26 GHz, GPU Adreno 330 e 2 GB de memória RAM. Para armazenamento há pomposos 32 GB de espaço interno, que compensam a inexistência de um slot para cartões de memória microSD - assim como a linha Nexus e os smartphones mais recentes da Motorola. A câmera é de 13 megapixels, filma em Full HD em 60 quadros por segundo e com gravação de áudio em estéreo, enquanto a câmera frontal fotografa em até 2,1 megapixels e filma também em 1080p. No Brasil, o celular será compatível com as redes 4G LTE das operadoras que trabalham por aqui.



Seu maior trunfo está dividido em duas partes. A primeira é a tela, curva e com tecnologia de OLED plástico em 6 polegadas e com resolução de 1280 x 720 pixels, que traz uma séria falha na exibição de cores uniformes. Algo muito inferior aos displays com vidro protegendo o monitor - sim, o G Flex não usa vidro, mas sim plástico na frente. O segundo trunfo, que não funciona tão perfeitamente quanto a LG promete, é a traseira com certa capacidade de corrigir arranhões e riscos bem pequenos. A "cura" é visível, mas leva bastante tempo, funciona melhor em ambientes quentes (alô Brasil, nisso você se deu bem!) e ela não elimina 100% dos danos. Porém, é melhor do que qualquer solução existente no mercado.
O Android que controla o aparelho está na versão 4.2, bastante atrasada quando lembramos que há concorrentes da Samsung, por exemplo, que já chegam ao mercado com o Android 4.4. O sistema operacional móvel do Google não traz qualquer função extra para aproveitar melhor a tela curva, que a fabricante afirma ter a mesma funcionalidade de telas IMAX de cinema. Este tipo de tela realmente ajuda, há vários metros de distância. Uma tela curva, que está na distância de seu braço, não faz o mesmo trabalho e não ajuda na visualização. O formato curvo, por fim, ajuda na proximidade do microfone para a boca.
O preço oficial do aparelho é bastante salgado, muito caro quando lembramos que ele é basicamente um G2 curvo. O G2 chegou por R$ 2 mil e já pode ser encontrado por aproximadamente R$ 1,6 mil. O G Flex chega por R$ 2,7 mil, valor acima de seu irmão reto e acima de outros concorrentes, como o iPhone 5S. Com esta queda natural do preço, em tão pouco tempo, é provável que em curto prazo o G Flex esteja no mesmo patamar, ou abaixo, de seus irmãos e concorrentes.
Fonte: TUDO CELULAR

Postar um comentário